segunda-feira, 15 de abril de 2013

Nunca pensei que fosse tão difícil

Não tem sido fácil. O papá retomou a sua vida, no Reino Unido e desta vez a despedida foi dura. Sobretudo pela angústia que sentimos quando a Maria expressou a sua vontade "Por que tens de ir, papá?" "Não quero que tu vás" e ontem, via skype, a Maria disse "Papá, anda para minha casa". Ainda é difícil conter as lágrimas. Valeu-nos os avós que a distraíram ao máximo e muito têm colaborado para que ela se sinta feliz.
Da minha parte é difícil, muito difícil... Ontem à noite, ao preparar a história para ler, a Maria dizia "quero que o papá venha para a minha cama (referindo-se à cama do próprio papá!);  "quero o papá deitado na minha amofada(referindo-se à almofada do papá!). Dói ainda mais ouvir isto. Por vezes as explicações e os argumentos não aparecem com a brevidade que precisamos e devidamente fundamentados. Mas os dias passam, o amor cresce e dentro de pouco tempo o maior abraço do mundo acontece.
Faltam cerca de 3 semanas para nós voarmos até lá <3




Por enquanto vamos aproveitar este sol, esta companhia, este brilho que nos encanta, todos os dias.
Bom dia, vida

13 comentários:

  1. vai tudo dar certo!

    Tenho novo post no blog.
    Muitos beijinhos
    MUAH* <3
    Neuza Mariano
    Youtube

    ResponderEliminar
  2. Um xi apertadinho para voçês minha querida!

    ResponderEliminar
  3. Mas ele está lá nalgum projecto ou é um emprego fixo? Não podem vocês irem para lá também. No início deste ano fui viver para Angola, porque também já vivia essa vida de grandes temporadas sem o meu marido desde que a nossa filha nasceu. Era muito duro. Angola não é um país fácil, mas estamos muito mais felizes os 3 juntos.
    Força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pipa, é temporário. Mas mesmo assim, custa imenso :(
      Um beijinho e felicidades!

      Eliminar
  4. A minha Maria tem 8 anos... Chora todos os domingos qd o pai tem de ir para Lisboa (onde trabalha desde que ela se conhece cm gente!). Eu acho que elas sentem imenso e nós desvalorizamos ou dizemos "ah e tal ela habitua-se". Lérias! Eu tenho por experiência própria que elas não se habituam mas criam defesas para atenuar a saudade!! A Maria por exempo recusa-se a falar pelo skype pq diz que fica com mais saudades..
    Beijinhos e força! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Raquel, não deve ser nada fácil, independentemente da "habituação". Compreendo que a Maria tenha dificuldade em falar com o pai via skype. Há uns anos atrás estive longe da minha família, por motivos de trabalho, e acontecia-me o mesmo. Preferia ser eu a ligar e antes de o fazer respirava fundo algumas vezes!!!
      Beijinhos

      Eliminar
  5. Sei bem do que falas e o que sentes!Há dois anos que também estou longe do namorido... eu na Madeira e ele aí no Continente... Não é fácil... a saudade por vezes, torna-se angustiante! Mas quando assim é, é porque o sentimento verdadeiro e a vontade de um futuro melhor impera!!
    Beijinho para ti e para a tua filhota! (é muito linda) :)

    ResponderEliminar
  6. Estarmos longe de quem gostamos e de quem gosta de nós nunca é fácil. Há é dias melhores que outros...
    Um beijinho e coragem para os 3

    ResponderEliminar
  7. sei bem o que sentem. passamos por uma situação idêntica sendo que a distancia é ainda maior (angola).
    é muito difícil lidar com as saudades do pai, mas felizmente estão a reagir bem!
    é uma fase diferente na nossa família enquanto família, mas é pela família e a pensar nela que se resolveu assim!
    beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "mas é pela família e a pensar nela que se resolveu assim" Subscrevo!
      um beijinho

      Eliminar
  8. Se perfeitamente pelo que passas, mas em dobro, lá em casa, à noite, são dois que chamam, pelo pai e choram com saudades!

    O Papá lá de casa, abraçou um projecto em Angola que o "rouba" da nossa casa mês sim, mês não. Sei que, para um projecto em Angola isso não é nada, aliás, já lá teve de outras vezes cerca de 2 meses seguidos.

    Mas dói, dói a ausência e dói, dói muito ver os meus tesouros com saudades do papá e a chorarem por ele. Quantas vezes e apesar do esforço, também eu deixo cair uma lágrima.

    Resta-nos a consolação, de saber que tudo isto não é em vão, mas antes para lhes poder proporcionar uma vida diferente…

    Bjs,
    MJ

    ResponderEliminar